segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

O PRESENTE PARA SEMPRE

Na beira do mar que de testemunha serviu
Os olhares silenciosos se fizeram eternos
Os discretos sorrisos se permetiam a si
A hora viajava pelo passado tão próximo

A hormonia da noite se completava naturalmente
Não existia mais vida fora daquele espaço
O sabor dos beijos eram como descobertas
Músicas, experiências, sorrisos e abraços

Pessoas caminhavam com seus pés molhados
Anônimos que se anulariam por segundos
Anônimos que por segundo se anulariam
Anônimos que não percebiam o natural

Na aproximação dos corpos que se conheciam
A intimidade já existia de forma singular
Não haveria em outro lugar um encontro maior
Luzes naturais testemunhavam os corpos areiados

No sol que nascerá  pelo segundo dia
Fazia do dia o mais feliz e desejado encontro
É a continuação do luar com os raios do sol
Deixar nascer a realidade de um sonho perdido

Depois dos olhares o contato mais intímo
Depois dos olhares o sorriso mais belo
Depois dos olhares a vontade realizada
Depois dos olhares a levada mais leve

Marcados os corpos se permetiam o mais belo
Entrelaçados as pernas e os abraços se permetiam
Os corpos se fizeram únicos no do final da tarde
Os lençóis são reservados ao silêncio do olhar

Na despedida do sol os sabores refrescavam a beleza das almas
Na ponte o mar refletia a chuva que embeleza a noite
Um bom café perpétua a madrugada sem mesmo saber
Um conhecer do desconhecido ilustre mais irresistível

Não negou o mais belo sentimento que de puro é eterno
Nuvens e um pescador solitário quebram a harmonia
Nada existe depois do beijo e da mão que ao corpo caía
Orações e preces na gratidão e na felicidade do abraço

Três dias de um terceiro dia de pouco tempo e algumas vontades
Ruas cheias de gente que nunca saberá a alegria de duas almas
Um almoço, vários sorrisos e uma ansiedade que se assumirá
A certeza de eternizar até o mais breve no sentimento mais digno 

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

A CERTEZA DO AMANHÃ NUNCA HAVERÁ

Haverá um dia que sol não nascerá
Haverá um sorriso que não será de felicidade
Haverá um encontro que a saudade não morrerá

Haverá um olhar que no desprezo nascerá à paz
Haverá um sonho que será o pior pesadelo
Haverá um endereço que o amor esquecerá

Haverá uma benção que a fé faltará
Haverá uma saudade que jamais acabará
Haverá uma história que será eterna

Haverá um fim que nunca teve início
Haverá um início que já tem fim
Haverá um tempo que haverá o que fazer