segunda-feira, 20 de maio de 2013

MEMÓRIAS INCONSOLÁVEIS

Que a lembrança seja eterna
Que o passado seja presente
Que o presente seja no futuro
Que o futuro não esqueça o passado

Deixo o olhar correr pela flor imaginária
Deixo a lembrança feliz sorrir para a noite
Deixo o desejo perder-se entre as pernas
Deixo a saudade imaginar a realidade

Amanhã o passado é presente
É presente amanhã o passado
O passado é presente amanhã

A intenção é o castigo da alma
A saudade é a fome da alma
A lembrança o inferno da alma
A angústia o alimento da alma

Buscar no passado o sorriso
Buscar nas lembranças a esperança
Buscar no impossível as possibilidades
Buscar nas lágrimas a desculpa

Poema inspirado no documentário: Elena (direção de Petra Costa - 2013)

quinta-feira, 2 de maio de 2013

O FIM IMAGINÁRIO DOS IGUAIS

Ao fim do dia parece que o fim é um fim
Jamais os segredos ocultos são revelados
Os olhares mais tristes camuflados sorriem
As lembranças de um sonho não sorriem mais

Ao molhar o rosto o futuro é incerto
Asfalto cobre a mais terna e bela magia
Palavras perdidas de um presente triste
As mais lindas pernas são naturais

Ao fim da noite o fim não conheceu
Quantas imagens perdidas no imaginário
Vidas perdidas de uma vida sem papel
As toalhas molhadas esperam o desejo chegar

Ao lindo olhar de uma mão que no corpo cai
O fim da rua as mais lindas lembranças
Revelados pelas palavras mais ingratas
As tristes festejam o desejo do papel

Ao suspirar a indigna vontade
Portas não se abrem ao vento
Unidade de corpos cobertos
As diferenças se fazem na igualdade