domingo, 5 de abril de 2015

O olhar de uma mulher no silêncio

Há um sonho que não se sonha
E na noite fria o frio sorri sozinho
Por mãos que abraçam o abraço inquieto

Um sorriso nunca consegue mentir
Doces amores de um amor que festeja
E com um triste sorriso a dor ingrata é incapaz

O olhar que não esconde a alma é insensível
Deixando em silenciosas palavras o sensível
Gente feliz esconde os segredos na luz 

O amor é uma aposta de jogos perdidos
Não é ingrato o mais incômodo verso 
Poemas inteiros perdidos na melodia

Quando a mulher esquece o dia
E deixa no silêncio a sua fantasia
Anula o resto de sua alma que sorria