quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Acreditar

Vou seguindo o que os outros me dizem
E vivendo de leis que molham minhas lágrimas
Na rua a noite nunca deixou a infância morrer
Partidas de futebol não escondem os impulsos

O vinho que acabou deixa a lembrança do quase adeus
Mostrando outros beijos não vividos nos sabores ateus
Muitos abraços são despedidas na chegada do homem
O sorriso que não esconde a triste alma não é feliz

Treze sensações que se resumem em um único desejo
Um único desejo que se manifesta em outros impulsos
Outros impulsos que roubam a noite e de noite acorda
E de noite acorda treze sensações que nunca são completas

Uma canção sozinha é mais confortante que os livros devorados
Uma batida que quase sincroniza as vazias mãos com seu corpo
Um resto de alguma coisa que insulta as lágrimas nas palavras
Um  pouco do pouco que a alma ainda acredita é muito pouco

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

ALGUNS AMORES

E depois que o tempo foi embora
A saudade transgride as emoções
Deixando no talvez a imaginação

Ele quis beijar depois dos aplausos
Abraçar no abraço íntimo a intimidade
Brindar o brinde mais feliz e desejado

Alguns amores são amores para o amor
Alguns amores são amores para sorrir
Alguns amores são amores para se despir

Alguns amores são amores para o amor
Alguns amores são amores para chorar
Alguns amores são amores para desejar

E depois que o tempo foi embora
As emoções transgridem

Ele quis beijar depois dos aplausos
A intimidade abraçar