terça-feira, 14 de junho de 2016

Flores escondidas

Fria é a noite que silenciosa se revela
Deixando poucas palavras saudarem
Liturgias de rituais despertam o óbvio

Nas ruas lembranças inconscientes
Com aplausos impetuosos flutuam
Homens nus com corpos mutilados

Escuridão com flores modernas no chão
Um balançar inquieto e despercebido
Olhares concomitantes pedem socorro

Nenhum comentário: