segunda-feira, 1 de setembro de 2008

NAVEGANTE INERTE

Frio doce da ópera
Nos andares do apartamento
Flores jogadas ao vento sul
Navegantes poetas

Amigo Sartre
Tropicalismo poético
O Cortiço de Azevedo
O cheiro do mato cortado
Tecido branco das torres
Antagonismo dos palácios centrais

MORTA-VIVA

Ela já morreu
Mas não quis ir morar lá

Ela já vegeta
Mas insiste em comer arroz

Ela é maquiada
Mas é pior que a sombra das trevas

Ela tem um olhar assombroso
Mas ainda tenta sorrir

terça-feira, 29 de julho de 2008

COEXISTIR

Coexistir os iguais nas flores de natal
Doces alemães brindam os diferentes
Casa desativada do azul-verde do norte
Branco e vermelho de cruz preta
Anabolismo qualificado das estradas

Coexistir
Alemães
Verde
Cruz
Estrada

Natal
Brindam
Desativada
Anabolismo

MARLENE CONCEIÇÃO

É sempre perto da perfeição
Que todos os anjos se encontram
Muitos dias ausentes
Toda vez presente

A vida é eterna no sorriso do anjo
Doces emoções de boas ações
Coração transcendental

Deus escolhe almas do bem
E na promessa da eternidade idealiza
(e me faz acreditar em tudo)


É sempre perto da perfeição
Que o espelho reflete a imagem

O mar não escolhe os banhistas
O mar acolhe os amores
O santo abençoa as intenções
O santo acredita nas promessas

Conceição no passado
Conceição no presente
Conceição eternamente
Família e amigos se limitam na veneração

Poema em homenagem ao um anjo bom chamado MARLENE CONCEIÇÃO

sábado, 19 de julho de 2008

ANIMAL DE ESTIMAÇÃO

É o dia do dia em que o dia passou discreto
Gosto de laranja é no simples casos das curvas
Casinha de anjos que brincam com a morte
Naturalidade em curso de Dolores desconhecida
Casualidade sem tempo para todos os tempos
Caminho doce na média estação do avião
Dependência do dependente notório dos irmãos

terça-feira, 8 de julho de 2008

NEGRA MENINA (nega mulher)

Negra cor delícia em forma de mulher
Bela por atributos também transcendentais
Encontro supremo de uma vocação singular

Nega cor delícia em forma de menina
Sorriso encantador de conquistas vitoriosas
Espécie em extinção em tempos modernos

Negra cor delícia em forma de mulher
Sensualidade na pele de quem conhece o prazer
Vida inerente de várias vidas sobrevividas

Nega cor delícia em forma de menina
Casa de boneca mineira na metrópole do mundo
Um sonho nas Américas em segredos que são eternos

Negra mulher
Nega menina
Fragilidade escondida na coragem

Nega menina
Negra mulher
Síntese perfeita da perfeição necessária

Poema em homenagem para a "divina" Cida Gernano (Aniversário de 2007)

sexta-feira, 25 de abril de 2008

RUAS

Um dia é pouco no presente da criança
Na busca dos amores o passado é presente
Todas as curvas fazem curvas no seu corpo
O pensamento é eterno até que o terno aconteça
Dias completos pelo sol da noite inteira

Ruas incompletas
Ruas completas

quinta-feira, 6 de março de 2008

MARIA BETHÂNIA

DOCE BELEZA DA MÃE DA HUMANIDADE
ÉS A MAIS DOCE DAS BELEZAS NO CÉU
TRANSCENDE O ESPÍRITO NOS FILHOS DA TERRA
ENCANTO DISCRETO DA ESSÊNCIA DO AMOR

MARIAS DOS MORROS
MARIAS DAS RUAS
MARIAS ANONIMAS
MARIAS DAS VOZES
MARIA BETHÂNIA

NO DIA QUE ESCONDE A NOITE
AS CRIANÇAS GLORIFICAM A VIDA
OS IDOSOS AGRADECEM O TEMPO
HOMENS E MULHERES SE COMPLEMENTAM NO SEU CANTO

MARIAS DA PAZ
MARIAS DA VIDA
MARIAS QUE LUTAM
MARIAS QUE BUSCAM
MARIA BETHÂNIA

O MAR É GRANDE E SILENCIOSO NA NOITE
AZUL É A COR DA FELIZ IDADE TRADUZIDA
OS HOMENS DIZEM AMÉM A SUA VIDA
ANTES DO FUTURO O ETERNO PRESENTE NO SEU SOM



segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

BRASIL NUNCA MAIS

É pouco o pouco tempo que temos
Todos os poetas anoiteceram e foram embora
As estrelas com vozes doces não cansam de apresentar-se

Todos os dias o dia é dia

A bandeira é linda
Os cartões são meus
A fotografia é bela


Os dias são seus
São seus os dias

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

TERMS OF CHILD

I love this time
Every day couples undertake
Celebrations in the meetings of the kiss and surprise
Love, flowers and cocoa with peanuts are brothers

Worship in the images of good because
The night is a meeting of two days
House of green just after Christmas
Far from the gates of the road not identify

Sugar
Clock
Picture
Spotlight

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

A METAMORFOSE

A metamorfose do tempo trouxe o mais belo dos belos
O presente de um hoje esperado pelo ontem
Nada mais simples do que o amor com intenções boas
No sorriso da alma a beleza dos gestos nas paredes de dentro
Com o encontro dos lábios as sensações somam-se ao instante
(um instante terno, belo e eterno)

A metamorfose do pensar fez feliz o poeta quase descrente
Nego a beleza que não se deixa viver por completo

(...)
Os anéis brilham e interpretam o amanhã muito concreto
(...)

O vermelho é presente nas duas representações
Augusto dos Anjos, Cruz e Souza
Luiza Erundina, Juarez Machado

A metamorfose na vida é necessária
É necessária a metamorfose da vida
Na vida a metamorfose é necessária

O hoje é o eterno construtivo do querer feliz
Corpos que pontuam as noites (todas) eternas
Lençóis e roupas ao chão são os convites inconscientes
Bem e bem não podem ter medo das suas calças
E com as pernas entrelaçadas se identificam e unificam

A metamorfose é necessária na vida
É necessária na vida a metamorfose
Na vida é necessária a metamorfose